Um pouco de História: Mariano Rovira Molist



Médico catalão (Vic, 1925, Barcelona, 2006), considerado o pioneiro da neurorradiologia espanhola, fundador da escola da disciplina em nosso país.

Ele começou seus estudos de medicina na Universidade de Valladolid, finalizando-os em Barcelona, em 1950. Sua vocação neurológica começou em 1948 como aluno interno no Serviço de Neurocirurgia no Hospital Clínico de Barcelona, liderado pelo Dr. Adolfo Lei Gracia. Médico adjunto do Serviço a partir de 1950, foi posteriormente médico-chefe clínico até 1966.

Durante os primeiros anos, ao mesmo tempo ele praticou a atividade de neurocirurgia e explorações neuroradiológicas, atingindo neste último campo uma grande reputação por sua técnica apurada.

A partir de 1966, dedicou-se exclusivamente à neurorradiologia, sendo o promotor na Espanha de técnicas tais como a ventriculografia, mielografia e arteriografia cerebral. Nesse mesmo ano, torna-se médico adjunto do Serviço de Radiologia do Hospital Clínico de Barcelona, para, em 1974, tornar-se Chefe do recém criado Serviço de Neurorradiologia do Hospital Valle de Hebron, onde exerceu suas funções de forma ininterrupta até sua aposentadoria em 1995.

Ele fez diferentes estadas de formação no estrangeiro, com destaque para as realizadas no Kantonsspital de Zurique com os Drs. Hugo Krayenbühl e Gazi Yasargil, onde aprendeu a técnica da cirurgia estereotáxica, e no Hospital Pitié Salpetrière de Paris com os Drs. Cavanis e Boris.

Com mais de uma centena de publicações e comunicações, entre as quais têm destaque os estudos sobre a angiografia percutânea (1950), a cirurgia estereotáxica (1961) e sobre a aplicação inicial da tomografia computadorizada em neurorradiologia, ele também realizou estudos interessantes sobre as indicações da angiografia em acidentes vasculares do encéfalo, a anatomia das artérias do primeiro segmento do sifão carotídeo, meningite tuberculosa, atrofia cerebral em pediatria, o estudo radiológico da sela turca vazia, malformações das paredes do ventrículo associadas com anormalidades cromossômicas e sobre a técnica de subtração em neurorradiologia.

Verdadeiro líder de escola, foi referente para grande número de neurorradiogistas espanhois das gerações ulteriores, entre eles, por mencionar algum, dos Dres. Ruscalleda, Viaño, Barluenga, Torrens e Romero.

Sócio fundador da Sociedade Espanhola de Neurorradiologia (SENR) em 1973, foi secretário dela até 1975 e, posteriormente, vice-presidente (1980-81).

Dr. Rovira foi também fundador, promotor e diretor do Centro Radiológico Computadorizado de Barcelona (CRC) onde se estabeleceu logo em 1974, um dos primeiros aparelhos de tomografia computadorizada orientado de preferência à realização de estudos de neurorradiológicos.

Máximo representante da neurorradiologia espanhola internacionalmente, manteve uma participação ativa em numerosos congressos e encontros científicos europeus e americanos, sendo presidente do VII Congresso da Sociedade Europeia de Neurorradiologia, realizada pela primeira vez na Espanha, em Barcelona em 1977.

Todos os seus colegas e discípulos salientam nele, não só o seu profissionalismo mas também sua grande humanidade, a alta cultura, senso da amizade e, porque não dizer, o seu grande senso de humor.

A saga Rovira continuou, já que Mariana, sua filha, é uma radiologista de renome, e seu filho Alex, um dos melhores neurorradiologistas do país e atual presidente da Sociedade Europeia de Neurorradiologia.

Autor: Dr. Luis Ros